Um Pan Juvenil para ficar na história

Brasil e Argentina / Foto: Federação Pan-Americana de Handebol

Na noite deste sábado, 22 de abril, se encerrou o Pan-Americano Juvenil, e nada como uma partida espetacular e um clássico como Brasil e Argentina, para fechar o campeonato com chave de ouro. O Pan Juvenil deste ano entrou para a história. A Seleção Brasileira, apesar da prata, mostrou a força técnica da base, já que durante todo o torneio os brasileiros venceram quatro, dos sete jogos que disputou, com goleadas de mais de 20 gols de vantagem. Dos outros três, duas vitórias, e apenas uma derrota, na final, contra os argentinos, na prorrogação, 21 a 22 (16 a 16 no tempo regulamentar).

O Brasil não conseguiu o título, sendo o último conquistado há dois anos. Na final desta edição o empate no tempo regulamentar, a partida foi para a prorrogação e a Argentina marcou o gol da vitória no último minuto. Apesar do resultado, a Seleção Brasileira é considerada a mais poderosa do Continente, pelos especialistas do esporte, e também pelo fato da maioria dos jogadores do All-Star Team do Pan serem brasileiros.

O bronze ficou Chile que venceu a Venezuela, por 35 a 20. Mas não pense que os venezuelanos ficaram tristes com a derrota. Pelo contrário, a animação dos jovens atletas era visto no final do confronto, afinal eles conquistaram a quarta colocação e a vaga para o Mundial Juvenil.

Já o México teve uma conquista inédita no handebol nacional. A seleção mexicana conquistou a quinta colocação no Pan ao superar o Uruguai, por 25 a 15. Nesta posição na tabela geral, os mexicanos conquistaram a última vaga para o Mundial da Geórgia. Nunca um quinto lugar foi tão comemorado, pois além da vaga, essa será a primeira vez que uma seleção mexicana disputará um Mundial, fato que nenhuma outra categoria conseguiu até hoje.

All-Star Team do Pan Juvenil

Durante a cerimônia de premiação foi divulgado a lista de atletas que compõe o All-Star Team do Pan Juvenil. No total três jogadores são brasileiros, dois são argentinos, um chileno e um venezuelano. Veja a lista:

Goleiro: Santiago Giovagnola (ARG);
Ponta esquerda: Guilherme Torriani (BRA);
Armador esquerdo: Paulo Oliveira Cândido (BRA);
Central: Yericson Monroy (VEN);
Armador direito: Leonardo Comerlatto (BRA);
Ponta direita: Martín Arakaki (ARG);
Pivô: José Luis López (CHI);
Melhor Jogador: Paulo Oliveira Cândido (BRA).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s