Brasileiras disputarão a quinta colocação no domingo

 

O Brasil já garantiu sua melhor colocação na história dos Mundiais Femininos de Handebol. Com a vitória sobre a Croácia hoje, 16 de dezembro, por 32 a 31, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. No domingo, 18, a nossa seleção vai disputar o quinto lugar contra a Rússia, às 9h, no mesmo local. A melhor posição da Seleção Brasileira até então foi em 2005, ano que as brasileiras ficaram em sétima posição.

A Seleção Brasileira entrou um pouco apática em quadra, tanto no primeiro como no segundo tempo. A defesa não funcionou e as finalizações não foram eficientes. Por isso, a Croácia chegou a abrir a diferença de seis gol, 12 a 6. As donas da casa só tomaram à frente no placar aos 21 minutos da etapa final, com gol da central Ana Paula, outro destaque no jogo. A mudança de comportamento da equipe deveu-se mesmo a Francine, que balançou a rede seis vezes. A meia-direita começou no banco, como de costume, e foi decisiva nas duas etapas.

O técnico Morten Soubak destacou a satisfação de ter obtido a melhor colocação do Brasil em Mundiais. “Estamos muito felizes com o jogo de hoje e com a posição histórica. O sonho da medalha escapou das nossas mãos em 15 segundos na derrota para a Espanha (pelas quartas de final), mas a Alessandra (psicóloga) fez um grande trabalho de recuperação e levantou as meninas. Mostramos que conseguimos nos superar. Estão todas de parabéns.

Só para lembrar a Seleção Brasileira Feminina já tem a sua vaga olímpica garantida, pois foi campeão no Panamericano de Guadalajara, neste ano.

A goleira Chana comemora a colocação brasileira./ Foto: divulgação

Não deu. Brasil está fora das semifinais do Mundial feminino

 

Não foi desta vez que as nossas meninas de ouro foram até as semifinais do Campeonato Mundial. Em um jogo frenético contra a Espanha o placar foi definido nos últimos segundos. Com 27 a 26 as espanholas agora vão jogar contra a seleção da Noruega.

A Espanha começou o jogo abrindo o placar e bem no início a diferença chegou a 5 gols. O Brasil logo se recuperou e quando partida não estava empatada estava ora com a Espanha na frente com um gol de diferença, ora com o Brasil na frente com dois gols de diferença. Mas não deu e a Espanha acabou vencendo. Essa foi a primeira vez que a nossa seleção chega tão longe em um Mundial. Agora é tentar ficar entre os cinco primeiros colocados. A Noruega, tetracampeã européia, venceu a Croácia por 30 a 25 e confirmou o seu favoritismo. O jogo entre Espanha e Croácia acontecerá nesta sexta-feira, 16 de dezembro, às 20h no Ginásio do Ibirapuera.

A outra partida das semifinais acontecerá entre França e Dinamarca. A Dinamarca venceu a novata Angola por 28 a 23. Empurrada por cerca de 100 torcedores que gritaram o tempo todo, Angola, atual campeã africana e dona dos últimos sete títulos, melhorou e emplacou sequência de boas jogadas. No entanto, a Dinamarca colocou a goleira Christina Pedersen, que defendeu quase todas as bolas até o fim. A França por sua vez foi a grande surpresa eliminando a atual campeã mundial Rússia. Com um placar de 25 a 22, as francesas não cometeram nenhum erro e apesar de terem começado o jogo perdendo elas viraram o placar e mantiveram a superioridade durante toda a partida. Irreconhecível as russas jogavam nervosas e ansiosas.

O confronto entre Dinamarca e França acontece também nesta nesta sexta-feira, às 17h15min.

 

Os campões de Handebol nas Olimpíadas Escolares

Encerrou-se no domingo as Olimpíadas Escolares 2011 com os seguintes campões no handebol:

 

Pela categoria masculino divisão especial o Colégio Vinícius de Morais, de Sorriso no Mato Grosso. Este é o terceiro título da equipe.

Pelo feminino a escola Castro Alves, de Cariacica, do Espírito Santo levou o título para casa.

Um Parabéns muito especial para esses jovens que levam o handebol brasileiro para frente!

Handebol ganhará museu na França

 
Um projeto inédito na história do handebol promete resgatar e preservar a memória do esporte mais praticado nas escolas brasileiras. Um museu com relíquias e registros de fatos marcantes será inaugurado em 2015 na cidade de Colombes, nos arredores de Paris, e estará dentro de um ginásio com capacidade para 8 mil torcedores. O local será também a nova sede da Federação Francesa de Handebol (FFHB).

O idealizador do projeto é o jornalista francês Philippe Pailhories, do L’Equipe, único periódico do país exclusivamente esportivo. Ele disse que a ideia surgiu em 2008, quando ganhou de aniversário uma foto que mostrava o romeno George Gruhia, um dos melhores jogadores do mundo na época, durante as Olimpíadas de Montreal, no Canadá, em 76, quando o handebol integrou pela primeira vez o programa dos Jogos. O presente foi dado pelo ex-jogador Bruno Martini, bicampeão mundial com a França (1995 e 2001) e atual gerente do Paris, um dos principais clubes franceses.
“O Bruno topou o projeto e procuramos a Nadège Coulet (assessora de imprensa da FFHB). Juntos, criamos a Associação LegHand (lendas do handebol) e começamos a montar o acervo com peças cedidas por clubes e entidades” , explicou Pailhories. “A intenção era fazer exposições itinerantes em eventos importantes na França e no mundo todo, mas a Federação Francesa decidiu levantar um ginásio, e nós ficamos muito felizes”, contou.

A construção do complexo foi iniciada há três meses, mas alguns números já impressionam: 300 camisas de clubes e seleções, 500 bandeiras, 700 pins, 100 cachecóis com símbolos de times do mundo todo e 2 mil fotos, pôsteres e flâmulas. Uma das raridades do Museu do Handebol é a bola da final do Mundial de 1970, em Paris, vencido pela Romênia.
Dois brasileiros já deixaram a marca verde e amarela registrada no acervo. A goleira Darly e o armador Bruno Souza, que jogaram na França entre 2007 e 2010 – no Le Havre e no HBC Nantes, respectivamente -, doaram camisas de seus clubes para o museu. Os dois já integraram a Seleção Brasileira. Hoje, Darly atua na Espanha, enquanto Bruno se recupera de lesão no joelho em sua cidade natal, o Rio de Janeiro.

Philippe está no Brasil acompanhando o Mundial Feminino de Handebol, em São Paulo, e aproveitará a oportunidade para levar para o museu camisetas de times brasileiros. Ele voltará para o Velho Continente com uma da Metodista/São Bernardo e outra do Esporte Clube Pinheiros, equipes que decidiram a Liga Nacional Masculina em novembro. “Nosso objetivo é valorizar o handebol e ajudar a torná-lo mais conhecido no mundo”, ressaltou.

Já dá para acompanhar e ver um pouco do acervo do Museu do Handebol pelo site (em francês) http://leghand.fr/ .Vai lá acessa e se divirta. :)

 

*Este texto foi retirado do site da Confederação Brasileira de Handebol

Que comece as quartas de finais

 

Já está decidido quem participará das quartas de finais do Mundial Feminino de Handebol, os jogos serão disputados nesta quarta-feira, 14 de dezembro, a partir das 11h30min.

Hoje a seleção brasileira em jogo contra a Costa do Marfim garantiu a vaga com o placar de maior diferença deste mundial. Brasil 36 à 22, diferença de 14 gols. O gol mais fantástico e que encerrou a goleada foi feito de novo no último minuto por Babi que não saiu da sua área e jogou a bola para o campo de defesa da seleção adversária. As nossas garotas entrarão em quadra novamente às 20h contra a seleção espanhola.

Os outros jogos das quartas de finais são:

Angola e Dinamarca, que ganhou hoje do Japão.
A Rússia, atual campeã mundial, joga contra França, outra favorita ao título.
Noruega e Croácia decidem o outro jogo.