Brasil busca primeira vitória no Mundial Júnior

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não foi dessa vez que nossas meninas da equipe júnior venceram no Mundial da categoria que acontece em Cakovec, na Croácia. Mesmo tendo uma partida equilibrada novamente, assim como contra a Rússia, uma nova derrota abateu nossa equipe e com o placar de 26×21. Amanhã é dia de tentar a primeira vitória na competição contra as chinesas, a partida ocorre às 15h30 (horário de Brasilía).

A fase de grupos que iniciou no sábado(28) termina esta semana também em um sábado em uma rodada entre Eslovênia e Brasil. Antes o Brasil ainda encara na terça a China e quinta a Tunísia para tentar se classificar para as oitavas de final, com as duas vitórias a Romênia é uma das favorista da chave D para avançar para as oitavas que acontecem já na segunda-feira da próxima semana. A grande final acontece no domingo dia 13 de julho.

Brasil fica com a prata no Pan

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não foi dessa vez que nossos meninos conquistaram o ouro, mas já estamos classificados para o Mundial, mesmo demonstrando a evolução em quadra nossos meninos tiveram uma queda de produção no segundo tempo contra os argentinos que venceram pelo placar elástico de 30×19. Na primeira etapa a equipe de Jordi Ribeira conseguiu estabilizar a partida, mas não o suficiente para vencer o primeiro tempo que teve placar de 15×12. A queda de rendimento ficou clara na segunda etapa o que rendeu uma vantagem significativa para os argentinos que levaram o ouro.

Antes da partida acontecer a decisão do bronze classificou o Chile para o Mundial do Qatar que acontece em 2015. A partida começou marcada pelo equilíbrio as duas equipes mantinham bom ritmo de jogo com lances de gol seguidos o que fechou em 13×13 a primeira etapa. Começado o segundo tempo os chilenos provaram ter fome de gol e passaram a frente no placar o que surpreendeu os donos da casa que acabaram cedendo a vitória por apenas um gol, final 24×23.

Ao final da partida o goleiro Maik Santos foi eleito o melhor da partida e nossos chapolin’s deram todo apoio a nossa equipe. O Mundial do Qatar receberá Argentina, Brasil e Chile em janeiro de 2015. Até lá o Brasil ainda vai encarar amistosos com equipes europeias além da fase de treinos. A equipe pode mudar até lá e o técnico Jordi Ribera terá muito trabalho pela frente para tornar nossos guerreiros na melhor equipe do mundo. O primeiro passo foi dado e continuaremos na torcida.

Antes do Qatar Brasil encara a Argentina

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na final do Pan-Americano Masculino uma disputa muito conhecida de todos o Brasil e Argentina acontece logo mais às 20h. Mas antes temos a decisão do sétimo lugar entre Guatemala e México, pelo quinto Estados Unidos e Groelândia. O bronze será decidido entre o Chile e o Uruguai, que sedia o evento.

Para a partida que decide a competição duas equipes que chegaram a final invictas e assim um grande jogo nos espera. Para os nossos guerreiros a correção de falhas no segundo tempo, o que tem sido um diferencial em quadra. Com a melhora técnica e tática que faz com que a equipe ganhe produção na segunda etapa o que deve nos levar a vitória.

Brasil nas finais e no Qatar

O Brasil conquistou a vaga para a final e para o Mundial no Qatar. Foto: Divulgação/Facebook

O Brasil conquistou a vaga para a final e para o Mundial no Qatar. Foto: Divulgação/Facebook

Além de chegar as finais do Pan-Americano Masculino que acontece no Uruguai nossa seleção ainda garantiu uma das três vagas para o Mundial do Qatar que acontece em janeiro de 2015. Sim nossos meninos podem ter a mesma marca de nossa seleção feminina e se consagrar como os melhores do mundo. Mas até lá ainda temos um adversário conhecido a Argentina às 20h.

O dia D

O inicio do dia foi marcado por outra competição, uma derrota, nossas meninas da equipe júnior enfrentava a Rússia e não foi páreo para as europeias que com sua estrutura de treinamento e tradição do velho continente. As russas chegaram no primeiro tempo apenas com três gols de vantagem o que dava espaço para uma virada, mas na segunda etapa nossas meninas tiveram dificuldade para deter as adversárias que acabaram vencendo por 35×19.

O começo da rodada foi justamente com nossos hermanos que encaravam os donos da casa esperava-se um supremacia argentina, já que a equipe chegou as semi invicta. O final do primeiro tempo com placar de 18×6 sinalizava o perigo que a equipe uruguaia passava e na segunda etapa o foco estava em mudar o placar, mas o peso da invencibilidade levou a um final previsível: Argentina 30×16 Uruguai.

Nas demais posições a definição seguiu a classificação e a Groelânda venceu a Guatemala por um placar dobrado de 44×22, valendo a sexta colocação. Já os Estados Unidos venceu o México por 41×28 pela disputa da oitava colocação. Na terceira colocação as equipes do Uruguai e Chile se encontram amanhã às 18h.

Na partida do Brasil novo espetáculo de nossos meninos que focados na taça e na vaga jogam com força e garra que se reflete no placar. O primeiro tempo a diferença era perigosa com apenas três, 16×13, mas já na segunda etapa era preciso mudar e o técnico Jordi Ribera sabe como mudar sua equipe e o final da partida, 36×28, já sinaliza o qae e a Argentina deve esperar. Confira a tabela de amanhã:

10444666_1498993513667908_3309170486305756381_n

 

Professor Antônio Sérgio faz um apelo para a moralização do handebol

O professor Antônio Sérgio Guimarães, do Grêmio Sérgio Guimarães (RJ), é treinador de handebol a 54 anos. Recentemente ele nos mandou uma crítica em nome dos handebolistas brasileiros. Ressaltamos que este é um espaço para o leitor, ou seja, tudo aqui publicado é de responsabilidade dele.

UM APELO PARA MORALIZAÇÃO DO HANDEBOL!

por Antonio Sergio Guimarães

Tendo em vista que em sua maioria de eventos realizados para o Handebol em todo Brasil, tenho notado a liberdade nos regulamentos em que qualquer equipe participante pode pegar qualquer atleta sem vínculo oficial com seu time para representar o mesmo, fazendo assim sempre uma seleção para ganhar títulos sem nenhum esforço e trabalho. Pega os atletas dos outros e nunca trabalha para o desenvolvimento do handebol, um verdadeiro parasita. Vamos acabar com isto e colocar nos regulamentos um artigo que venha proibir a participação de atletas de outra equipe nestes eventos sem que tenha no mínimo 6 (seis) meses de treino na equipe contratante, e que não tenha jogado qualquer partida por outro time neste período, assim vai obrigar estes falsos campeões a trabalharem e produzir para o handebol, pois quando acaba os eventos a sua equipe não existe mais, ok!